Polopique é uma das principais fornecedoras de roupa da Zara

É uma das principais empresas têxteis a operar em Portugal, mas o país não chega para absorver a sua produção. Além da qualidade, a internacionalização pela exportação é um pilar crucial da sua estratégia de desenvolvimento

Teares gigantescos fiam diariamente milhares de quilómetros de fios e lãs, que serão depois usados no fabrico de tecidos originais e únicos. Este é apenas o primeiro passo na atividade do Grupo Polopique

Teares gigantescos fiam diariamente milhares de quilómetros de fios e lãs, que serão depois usados no fabrico de tecidos originais e únicos. Este é apenas o primeiro passo na atividade do Grupo Polopique

Nem a crise económica, em geral, nem a do setor têxtil, em particular, impediram o Grupo Polopique (leia-se Polopiquê) de se tornar um dos mais bem-sucedidos agentes dos têxteis nacionais. Uma gestão estratégica, que investiu para tornar a empresa autossuficiente, que apostou na internacionalização do seu mercado foi a receita certa para pôr a empresa na crista da onda.
O Grupo Polopique é hoje uma das poucas, senão únicas, unidades têxteis com integração vertical. Isto é, que assume o controlo de todas as fases do seu ciclo produtivo, desde a fiação à tecelagem e tricotagem, tinturaria e ultimação dos tecidos e até à confeção de peças de vestuário, que obedecem às tendências da inovação e design, seguindo as sugestões do seu departamento de investigação e desenvolvimento.
Para chegar a este ponto, a Polopique, criada em 1996, abandonou o hábito inicial de recorrer à subcontratação da produção e passou a criar ou a adquirir empresas que produzissem o que necessitava: ao comércio de têxteis inicial juntou, em 2003, uma empresa de acabamentos de tecidos, depois duas fiações e a tecelagem/tricotagem e, em 2013, a confeção e uma unidade de produção de energia (cogeração).
A par desta escalada vertical, a Polopique foi também investindo em tecnologia, o que levou à otimização dos processos de produção, à melhoria da qualidade dos produtos e à eficiência produtiva.
Os resultados não se fizeram esperar. A qualidade dos seus tecidos e confeções saltaram à vista, até dos parceiros procurados no estrangeiro. A Polopique exporta quase toda a sua produção (97%) e conta no seu portfólio de clientes com empresas como a Indetex (dona da Zara), de que é uma das principais fornecedoras. Mas os seus produtos encontram-se em lojas por todo o mundo.

 

Texto: Adelaide Cabral
Foto: Global Imagens