Portugal é o 5.º principal cliente de Espanha e o 8.º maior fornecedor

Negócios. Há 45 anos a facilitar o intercâmbio comercial na Península, a Câmara de Comércio e Indústria Luso-Espanhola registou, até junho deste ano, um aumento de 4% nas compras e vendas ibéricas, atingindo os 14 mil milhões de euros

O impulso da Câmara de Comércio Luso-Espanhola tem sido fulcral na dinamização do comércio bilateral entre os dois países vizinhos.

O impulso da Câmara de Comércio Luso-Espanhola tem sido fulcral na dinamização do comércio bilateral entre os dois países vizinhos.

Há pouco mais de 15 anos, as trocas comerciais entre Portugal e Espanha não geravam mais do que quatro ou cinco milhões de euros por ano. Em 2014, o comércio bilateral luso-hispânico bateu recordes, superando os 28 mil milhões. Os dados são da Câmara de Comércio e Indústria Luso-Espanhola (CCILE), entidade que há 45 anos fomenta as relações comerciais entre empresas portuguesas e do país vizinho e uma das responsáveis pelo recente dinamismo das trocas bilaterais. Hoje, Portugal é o 5.º principal cliente de Espanha e o seu 8.º maior fornecedor.

Um estudo realizado pela CCILE há cerca de um ano contabilizou a presença de cerca de 1600 empresas espanholas em Portugal e 600 portuguesas em Espanha. De entre estas, cerca de mil são associadas da CCILE, o que demonstra bem o impulso que esta câmara de comércio tem conseguido dar aos negócios luso-espanhóis.

Durante anos os dois vizinhos ibéricos viveram quase de costas voltadas. Só em décadas mais recentes começou finalmente a registar-se grande dinamismo nas suas trocas comerciais. O maior salto, no entanto, aconteceu nos últimos dez anos: o valor histórico de 28 mil milhões de euros em trocas comerciais registado em 2014 representa um crescimento de 25,4% face a 2005.

Por detrás deste aumento estará a nova perspetiva global do mundo empresarial luso-espanhol mas tam- bém, em grande parte, a atuação da CCILE. Tendo por missão dar apoio aos processos de internacionalização no mercado ibérico, a CCILE auxilia as empresas espanholas e portuguesas a expandirem-se por toda a península. E fá-lo quer através dos serviços que presta – assessoria comercial, traduções e intérpretes, centros de arbitragem, etc. – quer dos contactos privilegiados que facilita.

 

Texto: Adelaide Cabral
Foto: Álvaro Isidoro / Global Imagens