Logoplaste: A mais internacionalizada das empresas industriais portuguesas

Com 62 fábricas em 17 países de 4 continentes, levou 23 anos para atingir este grau de expansão e, segundo o seu CEO, deverá ser a mais internacionalizada empresa da indústria portuguesa. Começou em 1976 , com o cliente Yoplait

As fábricas de embalagens da Logoplaste existem, por regra, dentro das unidades fabris do seus clientes, que se estendem já por quatro continentes: da Europa Ocidental e de Leste à América do Norte e do Sul e ao Sudeste Asiático

As fábricas de embalagens da Logoplaste existem, por regra, dentro das unidades fabris do seus clientes, que se estendem já por quatro continentes: da Europa Ocidental e de Leste à América do Norte e do Sul e ao Sudeste Asiático

Em menos de 40 anos, passou de uma fábrica portuguesa a uma empresa global, com 62 unidades instaladas em quase 20 países, o que faz da Logoplaste a mais internacionalizada indústria do país. Hoje, a Logoplaste é a maior empresa de transformação de plásticos rígidos em Portugal e no Brasil e está no top 5 europeu e no top 10 mundial das  empresas de embalagens rígidas.

O crescimento meteórico da Logoplaste ocorreu em praticamente duas décadas. No início, em 1976, quando Marcel e Filipe de Botton, pai e filho, criaram a Logoplaste, a empresa resumia-se a uma fábrica que produzia as embalagens dos iogurtes Yoplait e tampas para os frascos da Nestlé. Mas 15 anos depois tornava-se manifesto que o mercado português era exíguo para uma empresa com pretensões a crescer.

A estratégia de expansão internacional começou por duas fábricas em Espanha, a primeira das quais em Toledo, que viria a saldar-se pelo insucesso. Dos erros praticados no conceito e na organização da primeira fábrica no exterior viria a resultar uma lição que ditaria o sucesso da Logoplaste enquanto empresa global. A par da aposta na excelência dos seus produtos, sempre inovadores e adaptados ao cliente, a Logoplaste teve a ideia inédita de instalar as suas unidades nas próprias fábricas do cliente. O chamado conceito hole in wall permite à Logoplaste controlar toda a cadeia de desenvolvimento, produção e entrega atempada de embalagens aos clientes, em colaboração próxima com eles.

Além deste conceito, a Logoplaste desde cedo apostou no desenvolvimento de técnicas e combinações de produtos que lhe permitam criar soluções de embalagens inéditas. Soluções criadas no seu Innovation Lab, centros de investigação que hoje tem já em Portugal, Brasil, Reino Unido e EUA.

 

Texto: Adelaide Cabral
Imagem: Logoplaste